Especialistas em ‘Curriculum Vitae’ aconselham homens a ser sucintos e mulheres, se forem boas, a colocar apenas uma foto nua de corpo inteiro

António Marques 7 de Junho de 2011

Numa altura de grande desemprego, um bom C.V pode ser a diferença entre o desemprego (olhe que a mama do RSI vai acabar, estar desempregado vai ser outra vez uma coisa má!) ou ter emprego.

O repórter do IP, entrou na redacção escrevendo no C.V “Caro director do IP, sei onde moras, onde a tua mulher trabalha e onde os teus filhos estudam. Na carta vai uma orelha do teu cão Max, se queres o resto do cão vivo, dá-me emprego!”. O IP falou com um perito de Recursos Humanos : “ Um bom C.V deve ser falso, pois 99% vão para o lixo, para quê dizer a verdade? Faça uma página na net igual, para que quando o patrão pesquisar o seu nome no Google, as mentiras batam certo! Minta sem exagerar, não diga que foi CEO da Microsoft mas gestor da Microsoft, ninguém vai ligar ao Gates a confirmar! Por fim, um C.V deve ser muito curto, conte as palavras de um livro do Pedro Paixão e não as ultrapasse!“. AM

SIGA-NOS


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo