Sinistralidade rodoviária aumentou 83% na Arábia Saudita no dia em que uma mulher conduziu

Fábio Benídio 5 de Junho de 2011

Uma mulher saudita foi presa após publicar um vídeo no YouTube em que aparece a conduzir um carro, violando a legislação do seu país que impede as mulheres de se sentarem ao volante. Manal al-Sharif quis desafiar as autoridades da Arábia Saudita, mas a sua ousadia custou-lhe quatro portas metidas dentro, 17 retrovisores partidos e pelo menos dois SUV na sucata. O aumento exponencial da sinistralidade veio dar razão aos sauditas, que aproveitaram ainda para acrescentar à Sharia a proibição de as mulheres se sentarem no lugar do morto para não perturbarem o condutor com comentários como do tipo “está a andar muito depressa” ou “pára na estação de serviço para eu comer uma sandes de leitão e endireitar a burqa”. FB


SIGA-NOS


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo