Memorando da troika está infectado com a bactéria E.coli, pois sofre mutações e vai ficando cada vez mais letal

João Henrique 3 de Junho de 2011

Está desvendado o mistério para a incontrolável proliferação de versões de memorandos da troika.

Segundo as análises realizadas no Instituto Ricardo Jorge, o memorando da troika está infectado com a nova estirpe de E. coli, a mesma que tem infectado os pepinos, e já está internado e isolado numa unidade de cuidados intermédios de um hospital de Santa Maria da Feira. “A situação clínica do memorando da troika é estável. No dia de hoje, a taxa de juro do empréstimo do memorando só aumentou duas décimas e os prazos de execução das medidas de austeridade só foram encurtados uma semana. O memorando sofre algumas recaídas durante a madrugada e desata a inventar novas medidas de austeridade e a injectar milhões nos bancos, mas os médicos estão a tentar controlar isso”, informou o director-geral de Saúde, Francisco George. JH

SIGA-NOS


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo