Tribo amazónica e Sport Lisboa e Benfica “não conhecem conceito de tempo”

Inimigo Público 29 de Maio de 2011

Por Samuel Abeillard

Investigadores brasileiros e britânicos identificaram uma tribo amazónica que, segundo eles, não tem noção do conceito abstracto de tempo. Chamada Amondawa, a tribo não tem as estruturas linguísticas que relacionam tempo e espaço – como, por exemplo, na tradicional ideia de “no ano que vem”.

Chris Sinha, professor de psicologia da língua na Universidade de Portsmouth foi mais longe e afirmou que os dirigentes e adeptos do Benfica também não possuem essa noção. ”Por exemplo, eles já afirmaram várias vezes que “para o ano que vem” iriam ser campeões. No entanto, tal não se veio a verificar, revelando um desconhecimento profundo do conceito temporal de “para o ano que vem”. Tais argumentos não convencem Pierre Pica, linguista teórico do Centro Nacional Francês de Pesquisa Científica, que, por seu lado, diz tratarem-se de “pessoas muito pouco qualificadas, normalmente taxistas, expostos a grande inalação diária de monóxido de carbono proveniente dos tubos de escape dos seus taxis com 2 milhões de quilómetros, pelo que as sinapses dos seus cérebros se encontram danificadas.” Entretanto, o chefe da tribo Amondawa, mostrou-se indignado com a comparação da sua tribo aos adeptos encarnados: “Podemos não ter o conceito de tempo, podemos usar tecnologia rudimentar com dez mil anos, mas não nos comparem com gente cuja dieta se baseia em grandes quantidades de bifanas e couratos e se riem com a frase “vai lá vai, até a barraca abana”, declarou o chefe, enquanto se persignava em direcção a um calendário que tinha na parede da palhota, retratando uma jovem desnuda de busto generoso, com a frase impressa “Auto-Argoncilhe, reparações gerais auto e tunning”.

Tópicos

Últimas

Do arquivo