José Sócrates é ‘o mais africano de todos os candidatos’ porque atirou a economia nacional para o Terceiro Mundo

Vítor Elias 23 de Maio de 2011

Pedro Passos Coelho bem pode auto-proclamar-se como “o mais africano de todos os candidatos”, mas um estudo IP/União Africana/Discoteca A Lontra concluiu que esse título cabe a José Sócrates, o homem que pegou num país europeu razoavelmente endividado e o transformou, no primeiro mandato, no Zimbabué do Robert Mugabe e que, tivesse cumprido todo o segundo mandato, o teria transformado na Libéria do Charles Taylor, no Estado Livre do Congo nos tempos do imperador belga Leopoldo II ou mesmo na selecção sul-africana de futebol quando era orientada pelo Carlos Queiroz. Pela forma como tentou introduzir uma espécie de “capitalismo de Estado” em Portugal, José Sócrates é ainda “o mais asiático de todos os candidatos” e, pela maneira como os seus mandatos estiveram repletos de casos suspeitos, também “o mais latino-americano de todos os candidatos”. VE

SIGA-NOS


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo