NO PEC IV foi o Golfe, no PEC V são todos os desportos

Inimigo Público 16 de Março de 2011

Por Magno Neiva

Após o anúncio de que o golfe teria um IVA a 6% no PEC IV, e consequente onda de contestação pública, Governo decidiu que todos os desportos devem ser tributados, tentando atingir uma certa igualdade de tratamento no PEC V, previsto para daqui a 15 dias, já com o acordo do PSD e o “nim” do PP.

Casos como os ginásios e piscinas manterão os 23%, pois afinal de contas existem muitos reformados e empresários por conta própria e com vencimentos declarados de 400€ que possuem mini-ginásios e piscinas em casa e, portanto, se estão ao alcance destes comuns mortais com comuns vivendas – são elitistas. Ir jogar futsal, andebol, basquetebol ou qualquer outro desporto colectivo de pavilhão na sua antiga Secundária vai ter a taxa municipal de 31%, pois agora com os Agrupamentos de Escolas, as condições são melhores e as Câmaras também querem ficar com parte do valor para investir em campos abertos e grátis em freguesias com votações periclitantes, e como nessas freguesias não existem pessoas suficientes para mais do que dois jogos por mês, as infra-estruturas ficam com níveis de baixo desgaste perdurando no tempo até novas eleições autárquicas. Desportos como o ténis, squash, badminton e qualquer outro desporto que requeira pólos da Lacoste originais ou contra-feitos, passarão para IVA a 12%, apoiando a criação de emprego no sector têxtil português e chinês. Equitação, criquete, lacrosse e desportos motorizados (resta saber se no PEC VI o golfe passará para esta categoria), por necessitarem de grandes investimentos dos desportistas não serão taxados como forma de apoiar toda a população a optar por estes, banalizando-os neste próspero Portugal. Jogar à malha, sueca, dominó e demais desportos tradicionais serão taxados a 40% – são desportos já implementados na cultura portuguesa e que podem ser facilmente alvo de controlo por parte dos estabelecimentos “gourmet tradicional” (nova designação dada pela ASAE às tascas que não fecharam) e postos de GNR perto de parques de merendas. No futuro PEC ainda não se define taxação para jogging e a macaca pois, sendo desportos praticados por José Sócrates partiu-se do principio que não são verdadeiros desportos. O Ministério da Saúde já congratulou esta opção, pois a curto prazo deixará de haver tantas lesões desportivas em camadas da população com a mania que são desfavorecidas e que “optam por desportos demasiados viris, de contacto físico e um tanto ao quanto primitivos, acabando por recorrer ao SNS para tratamento dessas mesmas lesões criando filas enormes nas Urgências porque julgam que são o Bruno Alves e podem fazer entradas duras sem partirem pernas – suas e dos adversários” disse fonte contactada pelo IP. A longo prazo, a impossibilidade dessas camadas praticarem desportos por problemas económicos não foi avaliada, pois nessa altura também Pedro Passos Coelho já privatizou o SNS.

Tópicos

Últimas

Do arquivo