Cientistas descobrem que cobras deixaram de ter patas por causa da Lei da Incompatibilidade da Evolução, pois não podiam acumular patas e veneno

António Marques 21 de Fevereiro de 2011

Cientistas americanos fizeram uma grande descoberta, (se não fossem os americanos a descobrir cenas, ainda fazíamos fogo com dois paus e uma pedra), o fóssil de uma cobra de há 95 milhões de anos, com vestígios de patas ancestrais.

Os cientistas já sabiam que as cobras tiveram patas, mas só agora descobriram porque as perderam. Na Lei da Evolução de Darwin, há uma Incompatibilidade Evolutiva, que diz que um animal não pode ter duas vantagens ao mesmo tempo. Assim, há 80 milhões de anos, mais coisa menos coisa ( porra, isto é o IP, não é The Harvard Science Review) as cobras tiveram que optar pelo veneno ou pelas patas. Se a cobra tivesse feito o que os políticos portugueses fazem, teria acumulado patas, veneno, chifres, garras, dentes, trombas, tal como os políticos acumulam 10 reformas e 14 salários. Excepção feita a Cavaco Silva, que optou pela reforma. E pelo veneno. A.M

SIGA-NOS

Tópicos

Últimas

Do arquivo