Enriquecimento ilícito é pecado

Inimigo Público 14 de Janeiro de 2011

Por João Serrão

Em comunicado oficial, a Igreja Católica declara que é a favor da criminalização do enriquecimento ilícito.

Vários bispos e padres portugueses contactos pelo I.P. afiançam “não se pode concordar que pessoas enriqueçam dessa maneira, lesando terceiros” ou “a apropriação ilegal de bens é pecado, segundo os cânones da Igreja, e não pode ser aceite como actividade lícita pelas leis civis”. Padre Frederico, da ordem dos Franciscanos, sacerdote na localidade de Papa-Leite e presidente do PIGN (Pequenas Igrejas, Grandes Negócios), vai mais longe e afirma que a sociedade em geral deveria seguir o exemplo de gestão que utiliza na sua paróquia, pois é transparente e justo. “Diariamente depois de cada missa, pego no saquinho das esmolas e guardo o dinheiro num local seguro. No fim do mês, tenho que separar o que é de Deus, do pouco que eu preciso para o meu sustento. Assim, jogo o dinheiro ao ar. O que Deus agarrar é da Igreja e o que cair no chão fica para as minhas necessidades básicas do dia a dia”. A mesma fonte confidenciou ao I.P. que planeia ficar na localidade de Papa-Leite até ao final do sacerdócio e ter idade para se reformar, pois é “uma paróquia onde fui muito bem recebido e onde se vive rodeado de gente devota, de bem e são todos muito simpáticos”.

Tópicos

Últimas

Do arquivo