Medina Carreira ansioso por ver jogo entre país falido e país prestes a falir

Vítor Elias 11 de Outubro de 2010

O economista Medina Carreira aguarda ansiosamente por ver o Islândia-Portugal, jogo que coloca frente a frente dois países “irresponsáveis, ingovernáveis e malditos”.

Medina Carreira espera um jogo repleto de incidentes laterais e desnecessários, como “foras-de-jogo mal tirados ou entradas por trás fora de tempo, que vão servir apenas para desviar as atenções dos reais problemas das duas selecções, ambas à beira da eliminação”. E, tal como o FMI teve de entrar na Islândia em 2008 e “certamente terá de entrar em Portugal ainda este ano”, Medina Carreira não coloca de lado a hipótese de o Islândia-Portugal nem sequer chegar ao fim do jogo, tendo a FIFA de entrar em campo e ensinar os atletas a jogar como alemães. “Seria preferível que fossemos nós a resolver os nossos próprios problemas, mas isso é impossível com o Paulo Bento. Terá de ser a FIFA a entrar em campo e ensinar à força o tronco do Hugo Almeida a movimentar-se na grande área como o Klose e o carroceiro do Raul Meireles a passar a bola em condições, como o Özil”, concluiu o economista. VE

Tópicos

Últimas

Do arquivo