Jornalistas d’”A Bola” demoraram 16 segundos a escrever sobre a vitória do FC Porto na Madeira

Vítor Elias 21 de Setembro de 2010

Após Óscar Cardozo ter marcado dois golos, mandado uma bola ao poste e perdido duas oportunidades de golo nos escassos 16 segundos que tocou na bola durante o já distante Benfica-Sporting de Domingo, os jornalistas d’”A Bola” conseguiram igualar o recorde do paraguaio quando, no dia a seguir à vitória do líder do campeonato no tradicionalmente difícil estádio da Choupana, despacharam as referências a esse jogo em apenas 16 segundos.

Assim, em apenas 16 segundos, os jornalistas escreveram a minúscula referência ao jogo na capa, deram meia-dúzia de notas aos jogadores azuis-e-brancos lá para o meio do jornal, mandaram uma boca ao árbitro do jogo e ainda perderam duas oportunidades de referir a falta de eficácia do Falcão quando comparada com a do Óscar Cardozo. Amanhã os jornalistas d’”A Bola” vão dedicar a manchete e catorze páginas interiores a descrever, numa corrente de consciência à maneira de James Joyce, tudo em que Óscar Cardozo pensou durante os 5394 segundos que não teve a bola nos pés durante o Benfica-Sporting. VE

Tópicos

Últimas

Do arquivo