RTP vai passar a ser uma instância judicial de recurso

Vítor Elias 14 de Setembro de 2010

Após a presença de sucessivas de Duarte Lima, Carlos Queiroz, Carlos Cruz e novamente Carlos Queiroz a perorarem as suas teses argumentativas junto de Judite de Sousa, os partidos com assento parlamentar decidiram alterar o equilíbrio de poderes na próxima revisão constitucional e dotar a Justiça portuguesa de mais uma instância de recurso: a RTP.

Assim, entre a condenação em tribunal de 2ª instância e o recurso ao tribunal de 3ª instância, os arguidos poderão recorrer ao novo tribunal de 2,5ª instância, presidido pelo colectivo de juízes formado pela meritíssima jornalista conselheira Judite de Sousa e pela excelsíssima meritíssima jornalista conselheira Fátima Campos Ferreira. De maneira a que a equidade judicial fique assegurada, todos os portugueses que não tenham direito a recorrerem ao tribunal de 2,5ª instância, por manifesta falta de notoriedade, poderão sempre recorrer aos fóruns da TSF e da SIC Notícias ou ao espaço reservado às cartas dos leitores no “Correio da Manhã”. Fica ainda decidido que, caso os arguidos não concordem com a maneira como os seus casos foram tratados na RTP, terão sempre direito a recorrerem a instâncias europeias, nomeadamente a BBC e a Eurosport. VE

Tópicos

Últimas

Do arquivo