Ministério Público do Algarve queixa-se de falta de meios para lidar com afluência de políticos à região em Agosto

Vítor Elias 14 de Agosto de 2010

A PSP e GNR do Algarve queixaram-se que, com a afluência de milhares de portugueses à região, ficam com poucos homens para fazer face ao aumento das ocorrências criminais. De igual modo, a PJ e o Ministério Público locais queixaram-se que, com a romaria de políticos ao Algarve, ficam sem meios para investigar todos os casos de corrupção, branqueamento de capitais e financiamentos ilegais. “Só ontem um ex-ministro socialista permitiu a construção de um centro comercial no meio da Ria Formosa, um ex-ministro democrata-cristão mandou abater milhares de amendoeiras protegidas e um ex-ministro social-democrata participou num esquema de pirâmide no qual prometia lagostas aos tansos que lhe entregassem conquilhas”, explicou um agente da PSP de Faro. “Não temos mãos a medir. E ainda não chegaram os autarcas. Quando isso acontecer, Olhão vai ficar pior que Ciudad Juárez”. VE

Tópicos

Últimas

Do arquivo