Pedro Passos Coelho não entende a pressa de André Villas-Boas em ganhar

Vítor Elias 9 de Agosto de 2010

A vitória do FC Porto sobre o Benfica continua a dar que falar. Em declarações ao IP, o líder do PSD mostrou-se surpreendido com a “estratégia bizarra” que o novo treinador dos azuis-e-brancos, “por alguma razão que me ultrapassa”, decidiu seguir.

“O Benfica estava em clara queda, perdeu dois jogos na pré-época, vinha inclusive de perder em casa frente ao Tottenham, não entendo essa presa do Villas-Boas em começar logo a ganhar”, explicou Passos Coelho. “O que o FC Porto devia fazer era aliar-se ao Benfica, permitir-lhes ganhar um ou outro joguito pela margem mínima, deixá-los continuar com vitórias sofridas e exibições medíocres, ardendo em lume lento, até caírem de podres e o campeonato parar no regaço do Villas-Boas, sem fazer nada por isso, lá para 2011. Em vez de se esforçar por ganhar, o jovem, bem-parecido, ambicioso mas inexperiente Villas-Boas devia, como eu, queimar tempo com alguma coisa inútil, só para deixar o tempo rolar, como exigir a alteração dos regulamentos da Liga de Clubes”, concluiu. VE

Tópicos

Últimas

Do arquivo