Jogadores da selecção vão ter chips de matrículas para facilitar cobrança nas transferências

Mário Botequilha 24 de Junho de 2010

Arranca já amanhã um projecto-piloto de instalação de chips de matrículas nos futebolistas da selecção nacional presentes no Mundial, os navegadores e/ou zés castros. O massacre à Coreia do Norte estimulou o interesse de clubes europeus (e das forças armadas da Coreia do Sul) em vários jogadores portugueses, na clavícula de Nani, na anca de Deco e no cabeleireiro da comitiva. Os chips vão facilitar as transferências porque permitem aos futebolistas mudarem de clube a 120 km/hora e fazem imediatamente a cobrança de direitos desportivos e das percentagens dos agentes FIFA Jorge Mendes e Teixeira dos Santos. MB

Tópicos

Últimas

Do arquivo