Teixeira dos Santos tentou antecipar despacho para apanhar ordenado de Mourinho

Fábio Benídio 24 de Junho de 2010

O ministro das Finanças pôs termo à confusão gerada pelo despacho publicado em Diário da República, na semana passada, emitindo um novo despacho no qual esclarece que a taxa adicional de 1 ou 1,5% de IRS só se aplica a partir de 1 de Junho e não a partir do dia em que José Mourinho manifestou vontade de assinar pelo Real Madrid. No novo despacho, Teixeira dos Santos confessa que “estava à cuca para apanhar um ou dois milhões ao ‘Special One’, mas a coisa correu mal por causa da maldita comunicação social que não pára de fazer perguntas”. Por esclarecer ficou, no entanto, a aplicação de uma taxa suplementar de 70% de IVA às vendas de jogadores do Benfica e à alpista da águia Vitória. De acordo com o Ministério das Finanças, essa taxa só será aplicada para o ano e só se os encarnados voltarem a vencer o campeonato, o que parece irrealista. FB

Tópicos

Últimas

Do arquivo