Criminosos são os únicos portugueses que se conseguem organizar para produzir melhores resultados

Vítor Elias 8 de Abril de 2010

Segundo o Relatório Anual de Segurança Interna, o crime organizado subiu 60% em Portugal, o que mostra como, desde que sejam trafulhas, os portugueses sabem ser produtivos. As explicações passam pela falta de burocracia (uma empresa nunca demora menos de quatro dias a ser formada, mesmo com a “Empresa na Hora”, enquanto um gang pode ser formado em menos de dois minutos no bairro da Bela Vista) e pela independência face ao poder político, uma vez que os Governos não nomeiam boys para administrar associações criminosas (à excepção de Armando Vara, administrador não executivo da rede tentacular de Manuel Godinho e vogal no Conselho de Administração do gang das perucas). Quando as associações criminosas abdicam da sua independência e passam a relacionar-se com políticos, os resultados costumam ser menos satisfatórios, como se pode constatar pelo BPN. VE

Tópicos

Últimas

Do arquivo