Ponto G homeopático funciona tão bem como o antigo Ponto G

David Marçal 21 de Janeiro de 2010

Semanas depois de investigadores ingleses terem revelado que o Ponto G “é um produto da imaginação das mulheres alimentado por revistas e terapeutas, não havendo nenhuma base fisiológica para suportar a sua existência”, os partidários do Ponto G reafirmam a sua existência com uma natureza homeopática: o ponto G existe, mas em quantidades tão diluídas que é impossível de detectar por qualquer método de análise convencional.

Mas funciona muito bem. Na realidade, são as moléculas de água das células da vagina que retêm a memória de um Ponto G inicial que foi diluído milhões de vezes. O ponto G também pode ser tomado em comprimidos de açúcar, para os quais foi transferida a memória dessas moléculas de água que se lembram do Ponto G. DM

Tópicos

Últimas

Do arquivo