Menino do Lapedo era criança Cro Magnon mas foi adoptado por casal Neandertal gay

Vítor Elias 18 de Janeiro de 2010

Uma equipa de arqueólogos garantiu esta semana que o menino de Lapedo está mais próximo dos Neandertais do que dos Cro-Magnons, o que reforça a tese de miscigenação, recusada por vários antropólogos.

Ao que o IP apurou junto de um segurança de discoteca, descendente directo dos Neandertais, o menino de Lapedo seria um Cro Magnon, mas teria sido adoptado por um casal de Neandertais gay, quando o casamento homossexual foi aprovado pela espécie, o que levaria à sua extinção (os Neandertais deixaram de perseguir presas de grande porte, passando os dias a decorar as paredes das grutas). O menino de Lapedo teria sido retirado ao casal que o adoptou, em nome do “superior interesse da cria de hominídeo”, acabando por ser atirado para uma instituição de solidariedade social, uma alcateia de lobos (que anos mais tarde receberia “o pequeno Rómulo”, como era tratado pelos jornais etruscos). O caso do menino de Lapedo foi denunciado na altura pelos Homo Sensibilis, ramificação de hominídeos de onde surgiram os sociólogos, os pedopsiquiatras e os cronistas da “Pública”.

Tópicos

Últimas

Do arquivo