Desvios dos taxistas fazem com que sejam grupo de alto risco ao H1N1

Vítor Elias 27 de Outubro de 2009

Associação Nacional de Transportes Automóveis Ligeiros (ANTRAL) defende hoje que os taxistas também deveriam ser considerados um grupo de risco e, portanto, vacinados contra a gripe A.

Num comunicado da ANTRAL, publicado hoje, lê-se que “em virtude dos desvios que os taxistas fazem para chegar da Portela ao Marquês do Pombal, passando por Espanha, Inglaterra e por vezes pelo México, países onde a incidência de gripe A é enorme, todos deviam ser vacinados”, lembrando ainda que “a esmagadora maioria dos taxistas passa os dias de descanso em locais com grandes aglomerações de pessoas, como o Estádio da Luz, em Lisboa, e o Centro de Estágios do Benfica, no Seixal”, pelo que incorrem em maiores riscos, concluindo que “no dia de hoje, os profissionais do sector apenas são protegidos da gripe A pela medalhinha de São Eusébio, padroeiro dos taxistas”.

Tópicos

Últimas

Do arquivo