Pragas nas plantações do Farmville a mando de Sócrates

João Henrique 19 de Setembro de 2009

Depois de acusar o SIS de ser o responsável pela divulgação de um e-mail interno entre o editor Luciano Alvarez e o jornalista Tolentino Nóbrega sobre escutas na Presidência da República, José Manuel Fernandes acusou o SIS de invadir os perfis de redes sociais de jornalistas do Público.

“Tinha deixado a minha quinta limpinha e cheia de ovelhas e porcos. Plantei imensas cerejas, maçãs e laranjas, as frutas que rendem mais moedas. No dia seguinte, foi o descalabro na redacção. Durante a noite, os agentes do SIS encheram as nossas quintas de ervas daninhas e soltaram um porradão de pássaros só para estragar as colheitas. Dois grandes repórteres, o responsável pela infografia e o editor de economia viram palmados vários silos daqueles de 200 pontos. Dois editores executivos adjuntos, o responsável pelo fecho da edição e o director de arte ficaram com todas as sementes bloqueadas. Roubaram-me um tractor que me custou 10 mil moedas e que me permitia arar a terra em 4 quadrados em simultâneo, o que me poupava bastante tempo e paciência. Até o combustível para o tractor estava mais caro. É evidente que um ataque destes só poderia ter a mãozinha do governo”, afirmou José Manuel Fernandes.

Tópicos

Últimas

Do arquivo