Garrafa de água atirada a Vital Moreira tinha mensagem de prisioneiros do Tarrafal

Vítor Elias 14 de Maio de 2009

Foi encontrada, no local onde se encontrou em tempos o campo de concentração de Auschwitz, uma garrafa de vidro em cujo interior estava uma mensagem escrita por prisioneiros judeus datada de 1944.

Algo de semelhante se terá passado com Vital Moreira, que encontrou, numa das muitas garrafas de água que lhe atiraram à cabeça na manifestação do 1º de Maio, uma mensagem escritas por antigos prisioneiros do Tarrafal, o que comprova a sua suspeita de ter sido arremessadas por militantes do PCP. Uma terceira garrafa terá sido atirada por Sousa Cintra, que passava pelo local de automóvel, e um vaso de terracota, contendo no interior um evangelho escrito por Judas, terá sido atirada pelo membro de uma seita cristã do século I d.C..



Tópicos

Últimas

Do arquivo