Bento XVI apela a uma coligação entre judeus e cristãos

Vítor Elias 9 de Maio de 2009

O Sumo Pontífice apelou hoje no Monte Nebo, lugar onde, segundo as escrituras, Deus mostrou a Moisés a Terra prometida, à “reconciliação” entre cristãos e judeus

. A frase foi mal recebida pelos muitos apoiantes portugueses do bloco central, que consideram a coligação cristãos-judeus como insuficiente para resolver a actual crise ecuménica. “Uma coligação de circunstância entre a maior religião monoteísta e a terceira maior é como um Governo PS/CDS-PP”, explicou hoje mesmo Jorge Sampaio. “As religiões necessitam de um entendimento alargado entre o PS e o PSD de Deus, ou seja, o Cristianismo e o Islão”, concordou Cavaco Silva. Já Manuel Alegre considera que o Cristianismo deve coligar-se com as pequenas religiões mais radicais, como a Cientologia e a Igreja Maradoniana.

Tópicos

Últimas

Do arquivo