Pirómanos queixam-se que inesperadas chuvas previstas em Agosto vão arruinar completamente a sua época de incêndios

Por António Marques

Enquanto os desempregados festejam o frio e chuva que os portugueses com emprego encontram nas férias do Algarve (nós ficamos mais satisfeitos com o mal do outro do que com o nosso bem) este Agosto chuvoso e invernal provoca dramas maiores.

O IP falou com João Gomes, Presidente da Associação Nacional de Pirómanos: “ Com esta chuva, a época de incêndios está perdida! Os pirómanos não rentabilizam o investimento em latas de gasolina, que custa um balúrdio, isqueiros ou fósforos! E há o drama das centenas de incendiários, todos alcoólicos ou atrasados mentais, que deviam estar a atear fogos em 10 locais diferentes e que estão em casa sem ganhar nada! Isto é uma profissão sazonal, a indústria madeireira só paga depois do trabalho feito! Exigimos um subsídio do Ministério da Agricultura! E sem o trabalho dos pirómanos, os bombeiros não ganham guito! Isto é uma cadeia alimentar! “. A.M






SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

SIGA-NOS NO FACEBOOK

Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.


(0) Comentários
Comentar

20.9.2013