Operação Marquês: advogado pede um ano para ler processo porque primeiro quer acabar ‘Em busca do Tempo Perdido’

Mário Botequilha 17 de Outubro de 2017

“Gosto muito de ler Amadeu Guerra mas tenho o Marcel Proust, o David Foster Wallace e a obra integral do Camilo Castelo Branco na mesa-cabeceira em lista de espera.” A queixa é do advogado de dois arguidos da Operação Marquês, que vai pedir a extensão do prazo de 50 dias para analisar o processo. “Não vou deixar leituras a meio só porque o juiz Carlos Alexandre tem pressa. Até ao final do ano acabo a leitura comparada do ‘Em busca do tempo perdido’ com Gustavo Santos, Pedro Chagas Freitas e Cláudio Ramos e depois logo vejo quando consigo pegar nisso”, avisou o jurista.

Tópicos

Últimas

Do arquivo