FMI quer BCE mais agressivo na resposta à crise e pondera Ricardo Quaresma para o lugar de Mario Draghi

Vítor Elias 9 de Abril de 2014

Christine Lagarde aconselhou o BCE a ser “mais agressivo” na maneira como ataca a crise das dívidas soberanas, mas Mario Draghi recusa-se a ouvir os seus conselhos.

Por essa razão, o FMI está a pressionar Berlim para fazer cair o banqueiro italiano e substituí-lo por Ricardo Quaresma, tendo assim garantias que a crise europeia seria atacada de forma célere, ao pontapé, cabeçada e biqueirada. “Como banqueiro central europeu, Quaresma enfardaria porrada de moer ossos nos mercados, mesmo com o Schäuble, o Rehn e o Dijsselbloem a tentar agarrá-lo”, confirmou Christine Lagarde. VE

Tópicos

Últimas

Do arquivo