Euro 2012: Portugal é obrigado mais uma vez a fazer contas mas Nuno Crato exige que as contas sejam feitas sem máquina de calcular

António Marques 15 de Junho de 2012

Durante décadas, o caminho de Portugal para chegar à fase final do Europeu ou Mundial era mais árduo que as viagens marítimas de Vasco da Gama na epopeia dos Descobrimentos.

Logo ao quinto jogo, após perder com a Suécia e empatar com a Turquia, cada português começava logo a fazer contas “ Ora há 8 jogos pela frente e temos 7 pontos de atraso para a Holanda, 5 para a Polónia e 4 para a Jugoslávia. Como temos de jogar em casa com a Holanda e com a Jugoslávia e a Jugoslávia tem de jogar fora com a França e a Polónia tem de jogar em casa com o Chipre e nós temos de jogar fora com a Irlanda e em casa com as ilhas Faroé, isto ainda vai lá“. Só com a chegada de Luís Filipe Scolari (E o burro sou eu? Não, o burro não eras tu!) é que as contas acabaram e Portugal foi sempre aos Europeus e Mundiais nas calmas. Agora, com Paulo Bento, as contas voltaram e Portugal tem outra vez 10 milhões de Einsteins a puxar pelos miolos. A.M

SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo