Funcionária acusa empresa de assédio psicológico pois diz que o patrão lhe apalpou o Ego e Super Ego

António Marques 26 de Dezembro de 2011

Um funcionário do hiper Mosqueteiros de Penafel, apresentou uma providência cautelar no Tribunal de Penafel, acusando a empresa de assédio moral para o despedir.

O queixoso diz estar a ser vítima de assédio da empresa, que o quer transferir indevidamente da zona do talho para a zona da peixaria, o que iria originar transtornos na sua vida pessoal e familiar. O trabalhador queixa-se também que é ameaçado verbalmente, pois o chefe de secção grita-lhe aos ouvidos quando chega 2 horas atrasado ao emprego ou quando rouba dinheiro da caixa. Já outra funcionária dos Mosqueteiros, queixa-se de assédio psicológico, pois o chefe, chamando-a uma noite ao gabinete “apalpou-me o Ego, o Super Ego e o Id”. Por fm, uma jovem funcionária dos Mosqueteiros, chamada Julieta, queixa-se de assédio sexual e de violação, pois terá sofrido um gang-bang dos funcionários D’Artagnan, Athos, Porthos  e Aramis. AM



SIGA-NOS NO FACEBOOK

Tópicos

Últimas

Do arquivo