Francisco Louçã vai lutar contra o facilitamento dos despedimentos a começar pelo seu próprio de líder do BE

Vítor Elias 14 de Junho de 2011

Francisco Louçã transmitiu hoje a Cavaco Silva que vai lutar contra qualquer tentativa de revisão da Constituição que facilite os despedimentos.

De facto, Francisco Louçã quer impedir que a comissão política do Bloco de Esquerda corra com ele a pontapé e portanto avisou Cavaco Silva de que lutará para que o despedimento de qualquer português, principalmente líderes político de extrema-esquerda, seja mais difícil do que correr com o Pinto da Costa do FC Porto. Francisco Louçã não admite a possibilidade de despedir portugueses, nomeadamente líderes políticos radicais, por justa causa, causa atendível ou derrota eleitoral humilhante. Francisco Louçã defende que todos os portugueses tenham contratos de longa duração e apenas saiam do emprego quando se reformarem ou, no caso dos líderes de partidos irrelevantes de protesto, quando começarem a ficar chonés, como sucedeu a Álvaro Cunhal. VE

SIGA-NOS


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo