Novo governo tem apenas 24 horas para cumprir acordo com a “troika”

Mário Botequilha 6 de Junho de 2011

São 24 horas para fazer o que o país não fez em 24 anos. O INIMIGO teve acesso a uma terceira versão do acordo com a “troika”, que anula os memorandos de Lisboa e do Ecofin, com o texto “Estão f******. Cumprimentos, P. Thomsen” escrito numa folha de papel higiénico.

No novo documento, a UE e o FMI resumem o tratamento Strauss-Kahn que vão dar à economia portuguesa, encurtam os prazos das reformas estruturais da saúde, finanças e justiça e obrigam o próximo primeiro-ministro a ser um Jack Bauer capaz de salvar o país, ser torturado, abater os maus, erradicar a malária e mudar as direcções de informação da RTP e TVI em menos de 24 horas. É a Doutrina Pintelho Rente de Eduardo Catroga. O calendário apertou e o primeiro conselho de ministros, depois da posse, vai parecer o “Velocidade Furiosa 6”: nova taxa social única às 7h14m25s, fusão de municípios às 7h16m59s, implosão das corporações da justiça às 7h17m42s, anedota porca de Miguel Relvas às 7h58m22s, fecho do pipeline de guito Terreiro do Paço / Quinta da Vigia às 8h03m01s e por aí fora. Os ministros terão de levar tupperwares com grão com mão de vaca, bebidas energéticas, bananas e toalhas de bidé para enxugar o suor. Às 6h59m34s do dia seguinte é aprovada a última medida: a encomenda de uma estátua de Cavaco Silva, para o Castelo de S. Jorge, em dimensão equivalente à do Cristo Rei. MB

SIGA-NOS


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.


Tópicos

Últimas

Do arquivo